A estrutura do movimento e a aprendizagem das habilidades motoras

Érico Felden Pereira, Clarissa Stefani Teixeira, Sara Teresinha Corazza

Resumo


O Modelo de Estrutura do Movimento de Singer é um modelo teórico clássico da área de comportamento motor de grande importância para a compreensão da aprendizagem e controle dos movimentos e para o trabalho dos profissionais do movimento. De acordo com o modelo, para o aprendizado de movimentos complexos é necessária uma base motora específica para cada habilidade, que é um dos principais fatores que irão determinar o sucesso que as pessoas terão no desempenho motor, na motivação para a prática esportiva e na manutenção de um estilo de vida ativo. No entanto, em muitas realidades, principalmente na escola, a supervalorização de esportes com movimentos complexos, em prol da formação motora de base é um dos problemas da área da Educação Física e está ligado a falta de currículos e seqüências de conteúdos adequados e com a formação acadêmica. Assim, este artigo teve por objetivo realizar uma revisão sobre o tema apresentando e discutindo a teoria da estrutura de movimento e apontando sua aplicabilidade.


Palavras-chave


Modalidades de movimento; Aprendizagem; Prática profissional

Texto completo:

PDF/A

Referências


BARELA, J. A. Aquisição de habilidades motoras: do inexperiente ao habilidoso. Motriz, v. 5, n. 1, p.53-57, 1999.

CANFIELD, J. T. Aprendizagem de habilidades motoras II: o que muda com a prática? Revista Paulista de Educação Física, supl.3, p.72-8, 2000.

CONOLLY, K. Desenvolvimento motor: passado, presente e futuro. Revista Paulista de Educação Física, supl.3, p. 6-15, 2000.

GALLAHUE, D. L. A classificação das habilidades de movimento: um caso para modelos multimensionais. Revista de Educação Física – UEM, v. 13, n. 2, p.105-11, 2002.

GALLAHUE, D.; OZMUN, J. Compreendendo o desenvolvimento motor de bebês, crianças, adolescentes e adultos. 2a ed. São Paulo: Phorte, 2003.

MAGILL, R. A. Aprendizagem Motora: conceitos e aplicações. 5th ed. São Paulo: Edgard Bluncher, 2000.

PELLEGRINI, A. M. A aprendizagem de Habilidades Motoras I: o que muda com a prática? Revista Paulista de Educação Física, supl.3, p. 29-34, 2000.

PEREIRA, E. F.; TEIXEIRA, C. S.; VILLIS, J. M. C.; CORAZZA, S. T. Tempo de reação e desempenho motor do nado crawl em diferentes estágios de aprendizagem. Fisioterapia em Movimento, v. 22, n. 4, p. 585-94, 2009.

SANDOVAL, A. E. P. Medicina do esporte: princípios e prática. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SCHMIDT, R. A, WRISBERG, C. A. Aprendizagem e performance motora: uma abordagem da aprendizagem baseada no problema. 2a ed. Porto Alegre: Artmed, 2001.

SHUMWAY-COOK, A.; WOOLLCOTT, M. H. Controle motor: teoria e aplicações práticas. 2nd ed. Barueri: Manole, 2003.

SINGER, R. N. Motor learning and human performance. New York: Macmillian Publishing Co Second Edition, 1975.

TANI, G. Aprendizagem motora e esporte de rendimento: um caso de divórcio sem casamento. In. Barbanti VJ, Amadio AC, Bento JO, Marques AT, orgs. Esporte e Atividade Física: interação entre rendimento e saúde. São Paulo: Manole, 2001, p. 145-62.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Licença Creative Commons
Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 3.0 Unported.

Atividade Física, Lazer & Qualidade de Vida : revista de educação física , ISSN 2179-4677, do Curso de Educação Física da Universidade do Estado do Amazonas, Avenida Djalma Batista nº3578- Bairro de Flores- CEP:69050-030, Manaus, Amazonas, Brasil

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia